O que é o fruto? O que são frutos? Quem são os frutos?


Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.

João 15:1-4

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros.

Gálatas 5:22-26

Nós somos o fruto do penoso trabalho de Cristo, convencidos pelo Espírito Santo dos nossos pecados, reconhecemos que Jesus levou sobre si as nossas atitudes pecaminosas, para que pudessemos obter a sua justiça e sua natureza.

Porém há uma tentativa de restringir o significado de fruto como se fossem pessoas, números, multidões, quantidade...porém o fruto é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.

Sabe porque?

Todo fruto consite em muito mais do que os olhos podem ver, sua essência se encontra no que está por debaixo da casca, a essência do cristão está em ter o caráter de Cristo, que consiste no fruto do espírito do texto de gálatas 5, ou seja os frutos são gerados pelas virtudes de Deus em nós, e esses são os verdadeiros frutos dele demonstrados dia após dia em nossa vidas. Sendo a sua vida, o dia a dia, o cotidiano a maior forma de evangelismo.

Outra coisa que precisa ficar clara é que no texto vemos "o fruto" e não os frutos, pois no espiríto é preciso unidade para podermos usufruir do todo, ou temos todos ou não temos nenhum.

Não vivemos de palavras soltas, mas de atitudes cotidianas efetivas...

Nada mais nada menos que um!!!


"... a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai em Mim e eu em ti, também sejam eles em Nós; para que o mundo creia que tume enviaste...Para que sejam um, assim com o nós somos,eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim..."

João 17:21-23

Ao ler a Bíblia podemos perceber claramente que quando Deus se refere a Igreja Ele não fala de "Templo" como se fosse as quatro paredes, a palavra diz que nos somos o "templo do Espírito" ou seja sua habitação.

Por muitas vezes vemos pessoas que têm a grande ilusão de serem o detentores de uma verdade absoluta, criticarem a tudo e a todos, inclusive seus irmão,sejam eles católicos, metodistas, assembleianos, presbiterianos ou seja lá qual for a nomeclatura, não percebendo que essas informações além de não serem construtivas, são um tanto inúteis para o corpo de Cristo. Ao invés de cumprirem o mandamento estão esquertejando-o.

Há uma grande necessidade de união, curte só o que Deus fala para nos em Mc 3:24-25 "Se um reino estiver dividido contra si mesmo, tal reino não pode subsistir; se uma casa estiver dividida contra si mesma, tal casa não poderá subsistir", ou seja, a luta é para unir o corpo e não pra provar quem é melhor. Se continuarmos nessa briga sem sentido vamos nos destruir.

A palavra garante que o pressuposto básico para que o mundo creia que Jesus veio em carne e pagou preço alto na cruz é a unidade da igreja, esse é um dos motivos pelo qual temos que abandonar a religiosidade, porque ela nos afasta dos demais cristãos por mero preconceito. Somos irmãos com diferentes nomes, estilos, culturas mas somos uma família, afinal na essência acreditamos no mesmo DEUS que é Pai de todos e que nos adotou, por isso temos a honra de sermos chamados de seus filhos.

Sonho com o dia em deixaremos de lado as vãs discussões religiosas e passaremos a viver o que realmente interessa: o amor a DEUS sobre todas as coisas, o amor ao próximo(respeitando as diferenças). Não mais discutindo por teorias calvinidas ou arminianismo, placas , doutrinas... Dia no qual as placas vão cair e verdadeiramente mostraremos que Cristo veio, demonstrando o amor que temos recebido...


Continuaemos lutando para "...que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo"

O que fazer para ver o Pai?


Quem realmente se encontra apaixonado (a) pelo Pai anseia por vê-lo face a face, estar diante da beleza da sua santidade, pelo que Ele é, e não pelo que tem para nos dar.

A santidade foi e é muito mistificada. Na mente de muitos existem noções erradas a respeito dela, há quem pense que santo é aquele que nunca pecou ou não peca mais, não erra, e por esse motivo existem muitas pessoas prestes a se trancafiarem em caixas blindadas para não ter contato com nada deste mundo, para não serem "contaminadas", outros até mesmo dispensam a verdade pelo fato de não crerem ser possível viver em santidade. Complicando algo que é simples.

Curte...

Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.
II Coríntios 7:1

Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.
Romanos 8:8

Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor
Hebreus 12:14

bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.
Mateus 5:8

Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas.
Hebreus 10:10


Portanto, santidade é ser puro de coração, pois sem santidade ninguém verá a Deus, e os puros de coração esses sim verão a Deus. Porém a santidade e a pureza não podem ser produzidas por nós, somente DEUS pode gerar essas virtudes em nossos corações, como está escrito em sua palavra: somos "santificados em Cristo Jesus", e de forma alguma por nossa força, razão ou consciência.

Santidade a única forma de vermos o Amado das nossa alma face a face...

Oposto


O Reino de Deus é fascinante, e o que mais nos deixa maravilhados é que ele é totalmente oposto ao reino desse mundo. Ser grande no Reino de Deus significa ser pequeno, morrer é viver, para receber é preciso dar primeiro e por ai vai. Ao subir a montanha vemos o Reino de Deus sendo estabelecido em nós de uma forma tremenda, quanto mais alto estamos, menores ficamos para aqueles que nos veem e quanto mais subimos menos somos vistos, chegando a ponto de sermos uma pequena marca na grande montanha, Porém cada vez chegamos mais perto dEle e escutamos melhor a sua voz. Nada então pode se comparar a preciosidade da Sua presença, mais real, fascinante e envolvente a cada passo dado. Quanto mais perto chegamos, mais perto queremos chegar, somos atraidos pelo calor de Sua presença e nenhuma outra coisa nesse mundo sequer chega perto do desejo que temos em continuar subindo.


Asas da Adoração

II Coríntios 4

Por isso, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos;Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus. Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo.

Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos; E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal. De maneira que em nós opera a morte, mas em vós a vida.

E temos, portanto, o mesmo espírito de fé, como está escrito: Cri, por isso falei; nós cremos também, por isso também falamos. Sabendo que o que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também por Jesus, e nos apresentará convosco. Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus.

Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.

Para que outros possam viver, vale apena morrer!!!

Para que outros possam viver vale apena morrer, e nas palavras de II Coríntios capítulo 4 que nos acabamos de ler não apenas vale apena morrer como deve-se morrer, é necessário morrer para que aja vida, trazendo sempre em nosso corpo o morrer de Jesus, para que a vida de Jesus também seja revelada em nosso corpo, pois nos que estamos vivos, somos sempre entregues a morte por amor a Jesus, para que sua vida também se manifeste em nós, de modo que em nos atua a morte, para que em vocês, para que em outros atue a vida, assim como a semente que não morre, não germina, pois quando ela não morre se torna incapaz de gerar frutos, aquele que não morre é incapaz de gerar vida.

Não fosse o sangue do cordeiro, não fosse o sangue de todos os mártires que vieram antes de nós, não fosse aqueles que vivem como se não pertencessem a este mundo não seriamos conhecedores das boas novas da vida, mas se as coisas são assim, se isso é verdade, se isso reflete a realidade, se o senhor teve toda a intenção de dizer exatamente o que ele disse, por que é então que não morremos? Por que é então que o mundo está cansado de ver uma igreja que deveria carregar a mensagem da morte, mas não carrega? E não carrega porque ela mesma recusasse a morrer, se a ordem é essa, porque é que não vemos mais vidas sendo geradas, nações sendo alcançadas em meio a voluntária entrega da vida por parte daqueles que se dizem cristãos.

Porque existe algo de muito errado em nosso meio, existe algo de muito errado em meio a aquilo que chamamos de evangelho do reino de Deus, não um evangelho do reino dos homens para os homens, não um evangelho do reino dessa terra para essa terra, não um evangelho do seu reino para você mesmo, para o seu próprio benefício, mas o evangelho do reino de Deus para o benefício de Deus. E existe algo de muito errado porque estamos confundindo o evangelho do reino de Deus que é para Deus, com outros evangelhos, e o povo por falta de líderes preguem o que o povo precisa ouvir, e não o que o povo quer ouvir.

O povo está adorando outros bezerros de ouro. O grande bezerro de ouro dos nossos dias é a benção, é a vitória, é a conquista, é o bezerro da prosperidade, é a saúde, é o meu bem estar, é o meu conforto, é minha necessidade, é o meu reino, é a minha vida. Sete passos para alcançar a benção aqui, quarenta dias de jejum da vitória ali, doze maneiras para ser próspero um pouco mais adiante, trezentas e dezoito formas para você fazer com que Deus faça aquilo que você quer que Ele faça, não importa se Ele queira fazer ou não.

Porque afinal o modelo de Jesus “não seja feita a minha vontade mas a Sua” serve para Jesus, serve para o filho de Deus, não serve para mim, não serve para a “igreja”, quantos já foram a alguma campanha que dizia “Campanha do negue-se a si mesmo”, campanha dos três passos para morrer, ou a campanha das sete maneiras de amar o seu próximo como a si mesmo, campanha de quarenta dias de jejum para que eu possa carregar a minha cruz.

Não! Nunca foi! Porque não? Ora porque...não é isso que é importante...Porque o importante é eu ter o carro do ano, porque o importante é eu ser abençoado, o importante é mostrar o quão abençoado sou, eu preciso mostrar, porque afinal de contas se eu ando de carro importado é porque Deus me deu, porque é muito óbvio que Deus está muito mais preocupado com o meu ego...

Eu sou tão espiritual e abençoado que é muito óbvio para mim e é muito óbvio só pra mim, que Deus está mais preocupado em colocar dinheiro nas minhas mãos, para que eu possa comprar coisas caras e tolas, do que está interessado em colocar recursos sob meus cuidados para que eu possa de alguma maneira aliviar a dor dos aflitos. Porque Deus é tão bom para mim, Deus é tão sábio, Ele é tão misericordioso, que Ele prefere que eu compre para mim o meu centésimo par de sapatos, Ele prefere que eu faça isso mais do que prefere que eu compre algumas marmitas para dar de comer as crianças de rua, porque o importante é eu encher o meu celeiro até onde der, o importante é o meu reino, é a minha justiça, eu trabalhei, eu suei, não foi Deus quem me deu, não foi Deus quem me abençoou, fui eu que ganhei, é justo, eu trabalhei, é meu.

Porque o importante é eu viver como se não houvesse morte, Deus que me livre de pensar em morte, coisa negativa não é de Deus, o importante é eu viver como se não houvesse morte para que quando minha hora chegar, eu venha morrer como alguém que nunca quis viver.

Porque está escrito na palavra de Deus em Marcos 8 (31-34) e Mateus 16 (21-24)

(...) E começou a ensinar-lhes que importava que o Filho do homem padecesse muito, e que fosse rejeitado pelos anciãos e príncipes dos sacerdotes, e pelos escribas, e que fosse morto, mas que depois de três dias ressuscitaria. E dizia abertamente estas palavras. E Pedro o tomou à parte, e começou a repreendê-lo. (veja como desde o início a igreja se escandalizou com a mensagem da morte)

Mas ele, virando-se, e olhando para os seus discípulos, repreendeu a Pedro, dizendo: Retira-te de diante de mim, Satanás; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas as que são dos homens.

E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. (...)

Quem fizer de tudo para garantir a sua vida deste mundo não merecerá a vida no outro, e quem fizer de tudo para garantir sua vida no outro mundo, perderá sua vida neste, perderá o controle da sua vida neste mundo, quem viver de olho nos tesouros deste mundo, receberá somente aquilo que este mundo é capaz de dar, mas quem viver com os olhos fixos no tesouro eterno...este receberá, este haverá de receber aquilo que a eternidade tem pra dar.

Entendam algo. Sabe por que existem religiosos fanáticos que se matam? Que se suicidam? Que dão as suas vidas para serem destruídas? Sabe por quê? Porque eles estão pensando na eternidade, eles estão de olho na eternidade, e sabe por que você se recusa a negar-se a si mesmo e entregar o controle da sua vida a Deus? Porque você está pensando demais nessa vida, e mais sabem por que é que esses fanáticos acabam dando suas vidas? Porque eles passaram a vida toda, a vida inteira, ouvindo de seus mestres que morrer é algo valioso, eles passaram a vida toda ouvindo de seus mestres que morrer é algo bom, é algo nobre, é algo honroso, que morrer gera vida.

Mas e a Igreja? Mas onde está a Igreja? Onde está voz profética? Onde estão os que pregam a verdade? Onde estão os que pregam morram? Onde estão os mestres de Deus a gritarem morram? Para viver morram, por amor a Cristo morram, por amar a Deus acima de tudo morram. Onde estão?

Por que os missionários Moravianos se vendiam como escravos para poder pregar para os escravos? Porque alguém lhes ensinou que essa vida não vale apena ser vivida, se não for vivida para Deus. Alguém havia lhes ensinado que para que outros pudessem viver, valia apena morrer.

Enquanto muito parecem estar fascinados demais com mestres que pregam vida apenas nesta vida, mestres que distorcem o significado de vida em abundância, apesar disso, existem alguns remanescentes, existem ainda alguns que se recusam a se prostrar diante dos bezerros de ouro, existem ainda alguns que ainda se permitem ser afligidos por amor a Cristo, alguns que entenderam a voz do Espírito de Cristo, do Cristo que deu exemplo a ser seguido e não apenas em vida, mas na morte de cruz, e são capazes de dizer “Já não sou eu quem vivo, mas Cristo vive em mim.”

A vida é para os que crêem, os que crêem não tem medo da morte, não devem ter medo da morte, quem tem medo da morte não crê, e quem na crê, não viverá, e eis que a morte é o maior medidor da fé, os que morrem são os que crêem e termino com o texto bíblico que está em II Timóteo 4:2-4 “(...) Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas (...), preferindo acreditar nos mentirosos finais felizes.

Que este não seja você para a Glória de Cristo Jesus.

Amém!


Espírito Santo e
Juliano Son(Ministério Livres para Adorar)

Segue abaixo os links para quem quiser ouvir essa ministração no youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=rZYUqcPEf94&feature=channel_page

http://www.youtube.com/watch?v=zAw5fLc8k5E&feature=channel_page

Worship


Seguidores